A moral católica sobre o beijo

Espiritualidade
Typography

 

Beijar é pecaminoso?

Esta é uma pergunta recorrente ao longo desses anos de agradável contato com os jovens. Aqui vamos apenas dar um resumo conciso sobre o tema do beijo; depois iremos detalhar melhor a matéria.

Podemos distinguir entre beijos e beijos. Ou melhor, podemos dizer que existem quatro categorias de beijos:

1. Beijos que são meramente um símbolo sagrado e belo usado para expressar emoção profunda e bonita e não são, é claro, pecaminosos: os beijos mútuos entre a mãe e os filhos; os beijos mútuos entre marido e mulher; os beijos dados em um objeto sagrado, como a Bíblia, o crucifixo, o anel do bispo, a relíquia de um santo, o altar, a mão de um sacerdote, etc; beijos dados em algum objeto querido, como a bandeira do seu país, o solo de sua terra natal, a mão de um benfeitor, etc, etc

2. Beijos não apaixonados - isto é, aqueles que de natureza não despertam as paixões de uma pessoa normal - não são pecaminosos em si mesmos, embora possam facilmente preparar o caminho para beijos ardentes, especialmente quando cultivados por jovens do sexo oposto. Nesses beijos real afeição é sentida, mas normalmente não há excitação das paixões. Um beijo desse tipo não é, de forma alguma, pecado, mesmo se for trocado entre uma jovem e seu amigo cavalheiro. Os envolvidos, a fim de expressar o amor mútuo, podem fazer uso do beijo não apaixonado e abraçar; mas eles devem lembrar que abraços e beijos contínuos, mesmo do tipo não-apaixonado, podem facilmente trazer tentações graves, e por isso devem ser evitados.

3. Beijar pela emoção em si, por causa da excitação (não-venéreo), produzido por "um aumento do pulso e da respiração que provoca um sentimento de alegria" em si não é pecado, se não houver uma reação dos órgãos de procriação; mas esses beijos, em certas circunstâncias, facilmente tornam-se uma fonte de perigo, porque eles preparam o caminho para o despertar das paixões. Beijar com um espírito de malícia, um beijo roubado, por exemplo, ou forçar um beijo em uma garota que resiste, ou beijar apenas por causa da novidade do ato, é dificilmente um pecado contra o sexto mandamento, mas pode ser uma ofensa contra a virtude da caridade.

4. Beijos apaixonados, por serem intensos ou apaixonados, despertam o prazer venéreo e são proibidos sob pena de pecado grave. Beijos que no início não são apaixonados, normalmente tornam-se assim se prolongados por algum tempo, de modo que o beijo realmente prolongado é classificado como ardente. Em suma, todo beijo que despertar o prazer venéreo é gravemente pecaminoso por causa da intenção. Não há menor dúvida na mente de qualquer homem ou mulher decente que o beijo entre pessoas solteiras se torna pecaminoso quando a paixão toma o controle. Qualquer pessoa normal tem plena consciência de que, sob certas circunstâncias, o entusiasmo foi concebido pela natureza com vistas a atração. O beijo foi por Deus e pela natureza destinados a fazer crescer a excitação apaixonada de homens e mulheres. O beijo é nessas condições o prelúdio normal e natural da união física. Não podemos, portanto, dizer que em geral o beijo seja pecado ou não pecado. Devemos examinar caso a caso.

 

Eu acho que o senhor é muito severo em seus pontos de vista sobre o beijo, como expresso de vez em quando nas respostas.

No que se refere a nossa opinião sobre o beijo, elas não são realmente nossas. Em todas as nossas respostas simplesmente damos, às vezes literalmente e, por vezes, em nossas próprias palavras, os ensinamentos da teologia moral e dos que são competentes para escrever sobre o assunto. E, quase invariavelmente, nós propositadamente procuramos os pontos de vista menos severos sobre este assunto de interesse constante.

Quando recebemos esta consulta, nós olhamos o local de panfletos de uma igreja onde por acaso estávamos e encontramos três livretos sobre a pureza, todas com aprovação eclesiástica e a mais antiga datada de 1936. Disponibilizamos um resumo de cada um, principalmente sobre o beijo:

 "Nem todo beijo ou abraço entre companheiros é um pecado, mas facilmente leva ao que é pecaminoso. Intimidades nunca devem ser cultivadas por aqueles que desejam manter-se virtuosos. De todos os jovens que vão a festas, dançam e andam juntos em carros, mais de noventa por cento se entregam a abraços e beijos", diz o juiz Lindsey de Denver. Sua longa e profunda experiência com o bem da juventude o qualifica para falar. "Cinquenta por cento daqueles noventa por cento originais entregam-se à intimidares quase sexuais que destroem a saúde e a moral da mesma forma. . . 15-25 por cento das pessoas que começam com abraços e beijos, acabam "chegando ao limite", continua o juiz.

"O segundo grande perigo dos namoros é o da imoralidade - carícias apaixonadas, beijos, estacionamentos a céu aberto e assemelhados. Quando a curiosidade é forte em qualquer departamento da mente, as experiências são susceptíveis de serem configuradas para saciar esta curiosidade. O constante e próximo companheirismo entre rapazes e moças em namoro bem na fase em que a curiosidade sobre o sexo é mais forte, trará inevitavelmente apuros aos menos disciplinados.”

"É verdade que nem todo beijo ou abraço entre aqueles que se relacionam seja um pecado. Se não for prolongado ou ardente, e não for acompanhado por qualquer falta de modéstia, não é pecado, mas mesmo assim ele pode produzir uma forte tendência para o mal, ao qual deve se impor séria resistência. As assim chamados 'carícias' ou ‘carinho' ou ‘beijo de língua", etc, estão proibidos, pois tal conduta está intimamente ligada, ou inevitavelmente leva, à entrega ao prazer proibido."

 

O que tem o beijo? O senhor poderia por gentileza explicar o perigo disto tudo?

Uma senhora escreveu o seguinte artigo sobre um assunto que é de interesse para os jovens, bem como para as mulheres jovens e é tão sensível, tão claro, tão instrutivo, que merece ser amplamente divulgado:

Recebo muitas cartas de moças que querem saber o que devem fazer sobre a proposta de beijos.Elas comentam que é praticamente o mesmo de sem beijo, sem namorado; pois para os rapazes que saem com elas pedem um beijo de boa-noite como retribuição por suas cortesias, e se elas se recusarem, é, de fato, um boa-noite, na gíria que para elas significa nunca mais tornar a ver esses jovens beijoqueiros.

Agora, a modéstia inata e delicadeza dessas garotas revolta em ceder seus lábios aos homens a quem elas não estejam sequer noivas; aos homens que nem sequer fingem estar apaixonados por elas. Isto viola o senso do que é próprio, mas, ao mesmo tempo, elas não querem ser consideradas como hipócritas ou puritanas. E desejam muito menos se tornarem apenas flores que fazem parte da decoração em todas as diversões e festas, e contadas entre aquelas donzelas abandonadas que nunca recebem qualquer atenção por parte dos homens.

Então a garota fica dividida entre o senso instintivo do que é certo e seu senso de conveniência, e ela quer saber o que ela deve fazer e como ela deve responder ao eterno argumento do homem quando ele tenta convencer uma mulher a fazer coisas que ele sabe que ela não deve fazer. Beijar ou não beijar, essa é a questão que a incomoda.

Não há outra resposta para dar a uma moça para este problema. Ela é não, não e não! Os lábios de uma donzela devem ser mantidos invioláveis, e o beijo do primeiro homem sobre a superfície deles deve ser o beijo de amor do homem com o qual ela espera se casar.  Pois uma moça que dê seus lábios para cada Tom, Dick e Harry que a leva para um cinema ou acompanha à sua casa depois de uma dança é algo impensável...

É uma pena que não se possa fazer as moças verem que a coisa mais sedutora e atraente nelas é a aura de inocência e de não mundanidade que as emolduram. É a brancura, a alvura intocada de suas almas que é o seu charme principal, e elas jamais cometerão erro tão fatal quanto jogar isso fora.

Se as mocinhas fossem suficientemente sábias em perceber como o distanciamento é o que fascina, e que um apelo à pureza imaculada faz à imaginação masculina, elas iriam manter cada homem à distância, pelo menos até ele se aproximar e perguntar. Elas não pensariam por um minuto em ter que aturar familiaridades baratas dos homens que roubam-lhes a sua frescura e torná-los pequenos nacos desgastados de humanidade que foram apalpados como mercadorias dispostos à liquidação. As mocinhas nunca devem esquecer que é a tímida e trêmula violeta que é a flor favorita de um homem e não o descarado girassol.

Minha jovem consulente diz que não sabe como responder a um homem quando ele a pede para beijá-lo e diz a ela que não há nenhum mal nisso, e que seus argumentos a fazem sentir-se tola, porque parece que ela está fazendo tempestade em copo d’água sobre a matéria. Há uma resposta que toda garota pode dar ao pedido de um homem que quer um beijo.

Ela pode lhe perguntar se ele gostaria que sua irmã desse beijo de boa noite em qualquer homem que por acaso a visitasse. Ela pode perguntar o que ele aconselharia se sua irmã estivesse em seu lugar. E ela pode perguntar a ele se gostaria de saber que a garota que um dia ele vai se casar tivesse beijado uma centena de homens que eram meros conhecidos casuais.

Tais questões farão qualquer homem decente se contorcer. Um homem vai dizer a sua própria irmã com rapidez suficiente o que ele pensa sobre o assunto e seus próprios lábios tornariam-se frios e rígidos ao se lembrar que os suaves lábios de sua namorada tenham pertencido a uma longa procissão de homens antes dele. "As meninas devem sempre ter em mente o fato de que nem todos os homens jogam limpo com as mulheres, que os homens nem sempre são justos ou lógicos ao julgá-las. Um homem pode passar horas, dias e meses persuadindo uma garota para fazer algo que é errado, e desprezá-la logo após  por ela ter se rendido a ele. Ele fará pouco de cada instinto, escrúpulo ou princípio contrário à beijá-lo e, no minuto em que ceder, ele perderá sua reverência por ela como algo totalmente fino e delicado ....

As mocinhas também devem ter em mente que um anel de casamento na mão vale uma cesta de vagas promessas, e que as moças que se deixam conquistar pelos mais janotas, geralmente conseguem menos e os mais pobres os expedientes em menor número e os mais pobremente qualificados maridos. Uma mocinha deve observar que aquelas que são livres e fáceis em suas maneiras, que não demandam o devido respeito dos homens e lhes permitem entrar em familiaridades e tomar liberdades com elas, as moças que bebem e fumam com os homens, e ouvem e contam histórias picantes, meninas que são boas em esportes - essas meninas são o que chamamos de popular, e são geralmente cercadas por uma horda de homens especialmente enquanto são jovens e de boa aparência, e cheias de alto astral...

Mas o que a mocinha não percebe é que este tipo de rapariga muito raramente se casa, e quando ela o faz, quase sempre se casa com uma vara torta que não valia a pena pegar. A menina rápida, a moça sem modéstia ou delicada e femininamente reservada, pode ser o tipo de garota que os homens gostam de brincar, mas ela não é o tipo de mulher que eles queiram para a esposa e para a mãe de seus filhos.

É por isso que você é tão frequentemente surpreendida com os casamentos que os homens fazem. Homens que você conhece como animados surgem com uma esposa que é uma professora de uma escola dominical. Homens que eram conhecidos como caçadores de coristas que vão para uma cidade do interior e se casam com moças que nunca viram uma lâmpada mais reluzente que um pavio de querosene. Eles não querem que os lábios que tenha colhido uma enxurrada de beijos. Eles querem lábios que jamais tenham sido beijados antes.

E não se deixe enganar, meninas, em cair no erro de acreditar que só porque um homem lhe pede para beijá-lo, é uma indicação de que ele esteja apaixonado por você. Um beijo não é garantia de afeto. Judas traiu o Senhor com um beijo, e todo homem traidor de coração perverso que traiu a fé de uma jovem inocente e confiante começou o seu trabalho maligno da mesma forma: com um beijo.

"O caminho de prímula, que leva à perdição para as mulheres está pavimentado com os beijos de homens. Aquilo nenhum dinheiro poderia tê-las levado a fazer, que nenhum argumento poderia tê-las persuadido a fazer, o beijo as levou fazer. Pois não é nenhuma viagem da imaginação do poeta quando ele fala sobre as mulheres embevecidas pelos beijos. É um fato real, e é por isso que nenhuma garota está segura se permite aos homens beijá-las.

 

Pode uma moça ser muito rigorosa no que diz respeito aos beijos, carícias e outras intimidades com o rapaz que se namore?

Primeiro de tudo, há uma regra geral para namorar. Tais coisas como segurar um nas mãos do outro, sentar um no colo do outro, beijar, acariciar, fazer carícias, abraçar e outras familiaridades são muito perigosos. Tais ações agem de disfarçadamente, porém diretamente sobre os nervos do corpo e os torná morbidamente sensíveis; que despertam emoções e paixões que são tudo, menos adequada, e despertam e estimulam pensamentos, instintos, sentimentos, desejos e, porém muitas vezes, até mesmo ações que são positivamente indecentes. É um caso claro que leva uma pessoa a tentações graves, que resultam muitas vezes em uma queda. É por isso que essas coisas são geralmente pecaminosas, é por isso que não há verdade na afirmação: "Não há mal nisso”. Atualmente isto é a grande regra, em geral.

É por isso que fica claro que nenhuma garota pode ser suficientemente rigorosa nestas coisas. Se um jovem está insatisfeito com a modéstia virginal e a prudência de uma boa menina e insiste em sinais de carinho do tipo mencionados acima e, em seguida, resolver terminar a sua amizade com ela por não ter sido atendido, então simplesmente basta deixá-lo ir. O verdadeiro cavalheiro cristão vai admirar e amar uma menina ainda mais por sua posição firme em matéria de modéstia. E tal pessoa será um marido ideal. É perfeitamente correto que você seja muito rigorosa. Que Deus abençoe essas meninas! Elas são verdadeiramente sábias.

 

Quando um jovem está namorando uma moça com a intenção de casar ele erra em beijá-la? É um pecado mortal beijar de forma apaixonada quando se namora? Quando um beijo é um pecado e quando não é?

Enamorados que estão prestes a se casar podem trocar sinais respeitáveis de carinho e amor, em um grau moderado. Um beijo modesto é um tal sinal de afeição. Mas ele deve permanecer modesto, e não deve tornar-se voluntariamente apaixonado e sensual e, portanto, gravemente pecaminoso. Irá facilmente se tornar, portanto, pecaminoso se repetido muitas vezes no mesmo encontro. Um beijo de boa noite amigável e puro não é perigoso para os noivos. Mas que seja o suficiente. O beijo apaixonado e persistente, ou o chamado beijo de língua entre enamorados, é um pecado mortal, porque oferece a ocasião e estímulo para as emoções sensuais graves e satisfações.

Em relação à questão de saber quando o beijo é pecaminoso e quando não é, pode-se, em termos gerais, dizer que qualquer que seja a conduta que exponha a você ou ao seu namorado ao perigo próximo de ceder à impureza em pensamento, ao desejo, ao sentimento ou à ação é um pecado mortal. E se você disser que beijos apaixonados não envolvem esse perigo para você ou seu companheiro, você está enganando a si mesma grosseiramente. Tal afirmação leva-se a suspeitar de uma consciência entorpecida e uma alma obscurecida. Enamorados tímidos ou afoitos que ainda não estão prestes a se casar não devem de forma alguma entregar-se aos beijos e manifestações semelhantes de amor íntimo e ardente uma vez que o relacionamento não está perto o suficiente para o justificar. Se eles se entregam a tais práticas amorosas em um estágio tão cedo, não há qualquer dúvida que irão do que parece inocente e modesto, àquilo que sabem que não é, bem como e a magnitude do dano e do desastre que se seguirão para ambas as partes e, provavelmente, superarão todos os seus cálculos.

Acreditamos que os princípios acima que lhe darão meios para agir corretamente em todas as circunstâncias que possam surgir. Acrescentamos, no entanto, como um aviso sério, que, embora possa haver alguns que não tenham maus pensamentos ou desejos no tocante aos beijos e carícias, eles podem ser a ocasião de pecados graves de pensamentos imorais, desejos e emoções para seus parceiros. Lembre-se desta regra segura e simples: "Nunca faça nada, quando vocês dois estiverem sozinhos, que vocês se envergonhariam de fazer na presença de seus pais, ou que vocês se envergonhariam de revelar a seus pais”.

 

É pecado para dar um beijo de boa noite no namorado, depois de ter passado uma noite agradável juntos?

Isso depende de muitas coisas. Se é um beijo puro, modesto, amigável, um beijo de passagem e não dá asa a ambas as partes a pensamentos, desejos ou sentimentos impuros que são consentidos, não é um pecado. Mas aqueles que ainda não estão prestes a se casar não devem se entregar de forma alguma a beijos ou a manifestações semelhantes de amor íntimo. Não, não! É perigoso. Proteja-se e o jovem que você ama, abstendo-se de todas as familiaridades indevidas. Se não é pecaminoso agora, poderá em breve se tornar e levar ao mal e ao desastre que ultrapassarão todos os seus cálculos. Não! Um jovem com reto sentido de virtude e de honra vai sempre respeitar a preocupação de sua amiga pela modéstia e inocência próprias que se manifesta no cumprimento deste importante "Não!" Ele vai amá-la ainda mais por isso. Ele respeitará até mesmo sua recusa de "um simples beijo" como um sinal convincente de seu grande recato e medo de ser gradualmente iludida em perder o que ela considera - e que ele também considera - ser o seu maior tesouro. Tenha certeza disto: uma garota que é fácil e pronta para conceder impuros privilégios a um jovem perde todo o seu respeito e com razão. Tal rapaz naturalmente pode apenas concluir que ela está pronta para oferecer os lábios para qualquer um que se aproximar - e que sem dúvida já o fez. Nenhum bom católico cavalheiro quer uma garota assim.

 

Como é que uma menina recusará os pedidos de um homem por privilégios(no namoro, manter-se em sua companhia) e ainda manterá sua atenção?

Você quer continuar saindo com amigos católicos. Você sequer admite o pensamento de se tornar membro permanente do clube das senhoras solteironas. Mas por causa do problema das mãos bobas e sua política de se afastar as mãos e sua política de “Tire as mãos", os moços não namorarão mais você. E você ainda tem que encontrar uma resposta adequada e viável para a pergunta acima.

A questão não é fácil de responder. É verdade, é fácil dizer o que uma moça não deve fazer. Ela nunca deve fazer qualquer coisa que seja pecaminosa para si ou permitir que qualquer coisa que a possa fazer de si motivo de pecado para uma outra pessoa. O pecado é o maior mal do mundo; e por nada no mundo podemos cometer pecado.

Uma mocinha não deve fazer o que tantas meninas fazem no mundo louco de hoje - ela não deve sacrificar sua feminilidade a fim de conseguir e segurar um homem.

Sem ser pudica uma menina pode ser normalmente virtuosa. Com este hábito da virtude, ela vai afastar os avanços, recusar beijos e carícias, tudo como uma coisa natural, como uma questão de bom senso e bom gosto. Ela irá definir padrões para os meninos do seu convívio; e se eles não quiserem seguir essas normas, ela irá tomar isto como um “já vai tarde", se eles tomarem o seu rumo. Ela recordará que cabe a garota determinar o limite no que diz respeito a carinhos, etc, e que pode sempre dizer ao rapaz “até onde ir" Uma moça casta pode fazer um rapaz manter suas mãos longe dela, se ela quiser. Ela sabe que "nada faz uma mulher mais estimada pelo sexo oposto do que a castidade". Ela nunca cederá. E se o rapaz valer a pena conhecer, ele vai aceitar seus elevados padrões de respeito e admiração.

O garoto que você já namorou três ou quatro vezes, digamos, é um amigo, mas ele ainda não compartilha de seu coração. Então, você está perfeitamente correta em recusar um beijo, por mais irritantemente insistente que seja. Diga “não" e seja firme. Quanto aos carros estacionados e banho de sol juntos, essas coisas são tabu, se ele é o único e exclusivo ou não.

Emoções e paixões são como faíscas dentro de nós. Atice-as e você está sujeita a se queimar. Além disso, quando algo é fácil de se obter, seu valor logo diminui e o desejo por ele se desvanece. Quando beijos de uma moça são fáceis, ela corre o risco de perder não apenas sua própria boa reputação, mas também o seu charme e apelo. Se um moço pede "carícias", como parte do namoro, ele demonstra não ter respeito por você. Você é apenas um brinquedo para ele. Portanto, certamente, ele não vale a pena namorar, não é?

Então, ser independente de tais indivíduos, mesmo que isso signifique, semana após semana, sem namoros por um tempo. É muito melhor ser popular com Deus do que com os homens, pois o amor de Deus é verdadeiro e eterno, com a promessa de recompensa eterna e felicidade. Portanto, fique no "pedestal da feminilidade pura", onde Deus colocou você e ignore as técnicas do namoro moderno. Lembre-se que a pureza e integridade são bens mais preciosos a uma garota. Seja uma garota honrada, e um dia você namorará um jovem muito especial. Como os outros, ele vai pedir um beijo - como a maioria dos rapazes fazem - para descobrir que tipo de garota que você é. Quando você se recusa, esse sujeito vai aceitar a sua decisão, sem dúvida ou discussão, e em seu coração ele vai estar dizendo: "Este é o tipo de garota que eu estive procurando, alguém para se orgulhar. Agradável aos olhos, mas difícil.” Ele vai honrá-la e respeitá-la e aprender a amar você pelo que você é. E de repente você vai descobrir que ele está compartilhando seu coração, e fique feliz que você manteve o seu pequeno "tesouro de amor" só para ele.

O conselho acima para nós de uma garota que aprendeu muito por meio da leitura e da experiência e que está fazendo de tudo para conseguir que outras garotas se mantenham sobre o "pedestal da feminilidade pura" é certamente instrutivo. Mas, você dirá, que é mais uma vez sobre o que não fazer e não está resolvendo o seu problema. Suponha que eu fique, então, não só sem datas por um tempo, você diz, mas nunca obter qualquer data novamente. Suponha então que eu não só fique sem namorar por um tempo, mas que nunca namore novamente. Suponha ainda que eu nunca namore aquele jovem muito especial.” Suponha que todos eles passem por mim e me deixe lá naquele "pedestal da feminilidade pura ".

Muito bem, vamos supor tudo isso. Lembre-se que o amor de Deus é eterno. Você provavelmente vai fugir muito mais do que sentir falta. Mas o que quer que você faça, recuse a entrar em linha com as idéias de namoro moderno, a fim de obter e manter um namorado e, como resultado, pisar muito baixo fora de seu pedestal e baratear-se e deixe-se apalpar e cometer pecado.

Já que mencionei acima que o pecado é o maior mal no mundo, pode ser bem aqui citar esta passagem marcante da Apologia de Newman:

 “Afirmei que a Igreja Católica considera preferível que o Sol e a Lua caiam do céu, que a terra definhe e que os muitos milhões que nela habitam morram de fome e na pior das agonias, que a aflição temporal chegue ao seu máximo, a que uma só alma, não direi, se perca, mas cometa um único pecado venial, pronuncie voluntariamente uma falsidade, ou roube sem desculpa um miserável tostão.”

Mas o que você quer saber, e o que muitas outras garotas querem saber, é como você pode, apesar de tais recusas, manter a atenção dele.

A maneira mais segura de ainda prender a atenção dele, como está implícito no exemplo acima, é a sua própria recusa de concessões. Se isso não atraí-lo, então sua partida é bom alívio.

Em adição a esse requisito primário, as seguintes sugestões podem ser úteis:

1. Seja charmosa, agradável, inteligente e bem vestida o melhor possível, esperta e atraente. Faça a virtude atraente e você atraente com isso. Todo mundo sabe, por experiência amarga que a alta coragem é necessária para estar sempre bem. Todos admiram a virtude, porque a virtude é essencialmente admirável.

2. Homens, em geral, estão muito menos dispostos a se casar do que as mulheres. É por isso que há, dizem eles, mais solteiros católicos do que há solteironas católicas. Portanto, uma vez que a maioria dos casamentos são atraídos pela jovem mulher, quando você encontra um bom homem católico quem você acha que você gostaria de casar, vá pelo lado do tato, inteligência, e virtuosamente, interessará ele e, depois de ter certeza que ele é o homem para você, sutilmente persuada-o a acreditar que ele quer casar com você e com artimanhas femininas castas e encantadoras leve-o a lhe pedir em casamento. Não espere que o jovem tome todas as atitudes. Empregue as principais e aprovadas artes pelas quais o interesse de um homem é atraído. Faça as propostas naturais e bastante próprias para o casamento.

3. Seja uma boa ouvinte. Um homem quer uma boa audiência. Em vez de tagarelar tanto sobre os seus próprios interesses, ouça-o com simpatia, interesse e compreensão. Encoraje-o a falar sobre seus planos, suas ambições, suas lutas. Deixe-o sentir isso de você, que ele sempre pode ter coragem e incentivo pra enfrente ar o mundo. Um homem quer que sua futura esposa seja uma boa ouvinte, uma influência repousante, um centro de paz, uma inspiração, uma audiência.

4. Ocasionalmente convide o jovem para sua casa e entretê-lo para a noite; deixe-o ver a sua casa e sentir que você pode fazer de sua casa um centro de paz. Cozinhe-lhe uma boa refeição e sirva-o em sua casa; ele espera que você prepare boas refeições para ele depois que vocês forem casados. Deixe que ele veja, também, como deliciosamente natural e boa você é para seus pais em casa e quão elegante, mesmo quando não arrumada.

5. Vá com o homem para os lugares a que ele gosta de ir e fazer as coisas que ele gosta de fazer. Não seja egoísta. Esqueça as suas próprias preferências. Não insista para ele ir a lugares que não gosta de ir ou fazer coisas que ele não gosta de fazer. Sensata e prudentemente evite que ele gaste muito tempo e dinheiro em você. Ainda assim, certa generosidade para com a garota com quem um homem sai é uma boa garantia de sua generosidade para com a mulher que ele vai se casar.

6. Façam coisas juntos: caminhadas, passeios, ir ao cinema, assistir a concertos, palestras, Igreja; ler os mesmos livros, cultivar os mesmos hobbies, etc Tente encontrar prazer em fazer as coisas juntos, coisas baratas, simples e interessantes.

7. Se você se lembrar de que o melhor dos seres humanos são muitas vezes fracos, os homens decepcionam meninas e meninas decepcionam os homens e que os homens e as mulheres são muitas vezes tolos, se você não esperar a perfeição do homem que você está saindo, você vai perdoá-lo se ele for culpado de uma fragilidade ou de um pecado venial. Você se lembrará que errar é humano, perdoar é divino. Assim como devemos pedir diariamente a Deus para nos perdoar os pecados, então nós também temos necessidade freqüente de perdoar uns aos outros as nossas ofensas. Se os erros feitos, mesmo que eles machuquem muito a sua vaidade e conveniência, são realmente na pior das hipóteses apenas pecados veniais, não só perdoe-os, mas esqueça-os. Melhor ainda, não tenha praticamente nenhum conhecimento deles. Não deixe que eles perturbem o curso de sua amizade. Mesmo uma transgressão mais grave, se é apenas rara, se é um lapso ocasional de fraqueza, melhor que seja graciosamente perdoado e esquecido. Se ele vai tão baixo a ponto de fazer o tipo de coisas que são pecados mortais, com tristeza, mas com firmeza vá embora e encontre alguém melhor.

Lembre-se que os homens e as mulheres solteiras não podem deliberadamente aceitar ou adquirir o prazer sexual de forma alguma. Não faz qualquer diferença de quão comum o pecado é, a facilidade com que ele pode ser cometido, quão geralmente é feito, ou quão brevemente o ato proibido é apreciado. Prazer sexual deliberado não tem lugar no namoro. É proibido sob pena de pecado mortal. E, vamos simplesmente adicionar, impureza antes do casamento, não raro, pode gerar infidelidade depois do casamento.

De todo este conselho para as meninas alguns podem ter a impressão de que os meninos são muito ruins, que são sempre os culpados. Não queremos dar essa impressão. Tal como as meninas devem estar em guarda, assim, também, os meninos devem estar em guarda no que respeita às moças. Só para trazer à tona, citamos o seguinte do livro “SO! You Wanna Get Married!” (Milwaukee: Bruce, 1947) de Dorothy Fremont Grant:

As meninas cedo chegaram à conclusão de que elas têm um ‘poder’ misterioso sobre os meninos. Mas o seu exercício é muitas vezes miseravelmente abusado. Deliberadamente a menina deixa cair o seu lenço ou seu compacto pelo simples ‘prazer’... de trazê-lo aos seus pés, de modo que, em seu lazer, ela pode dar-lhe chute. Não sem razão alguns meninos, e alguns homens, tem um pé atrás com meninas e mulheres. Deliberadamente a menina vulgar vai jogar um menino contra o outro apenas para o ‘prazer’ de receber suas ofertas competitivas para a restauração de seu favor. (e, a propósito, ainda é boa forma para os meninos tornarem estas ofertas em flores, doces e livros!)

Tão deliberadamente quanto meninas tolas agem eu coloquei a palavra prazer entre aspas, porque esse tipo de prazer é ilícito e imoral. É essencialmente desonesto, astuto e cruel. As crianças pequenas chamariam essa garota de “uma trapaceira suja” e, sem exagero, esta é a garota que merece ser tirada da prateleira para sempre.

É verdade que pela própria natureza de mulher ela tem um ‘poder’ sobre o homem, um poder moral O tom moral da sociedade é definido pela mulher, e não pelo homem, porque ela é a guardiã natural de virtudes morais; Esta é uma parte de sua vocação. Exceto pela força física nenhuma mulher é envolvida em um ato imoral contra sua vontade. Portanto, o padrão de conduta entre meninos e meninas é a principal responsabilidade da menina há uma verdade na expressão: ‘Ela o levou...

Uma pesquisa entre os meninos da escola católica e meninas em uma cidade “indica que as advertências inexplicáveis e ‘não’s’ verbais não conseguem convencer a maioria dos meninos e meninas adolescentes que não há qualquer perigo em que eles consideram ‘deveres’ ou necessidades rotineiras de qualquer sistema bem sucedido de namoro. 22%não viu absolutamente nada seriamente errado em intimidades, e 24% afirmaram que essas concessões não são “necessariamente’ erradas, enquanto 9% acreditavam que ‘acariciar apenas” está errado. Das razões apontadas para apoiar o seu julgamento dessas ações, é evidente que a média de meninos e meninas estão completamente ignorantes da natureza dos fatores psíquicos e físicos que atuam no desejo sexual.

Enquanto a maioria não via necessidade de intimidades em um encontro, tantos quanto 341 idosos consideraram tal comportamento uma ‘parte da rotina de um relacionamento de uma menina com os meninos.’ Apesar de cerca de 100 idosos considerado tal comportamento ‘barato’ e ‘nojento’ nenhum dos 1.042 que responderam negativamente não deram quaisquer princípios éticos ou razões morais para sua posição. Apenas um garoto de 17 anos de idade, chegou perto de qualquer panorama substancial do problema quando ele declarou: ‘Depois de sair com uma menina por um tempo, você percebe que esta não é a coisa que conta.’”(América, 14 de julho de 1951, pp 377-378).

 

Você acha que o certo para um rapaz esperar um beijo depois de uma saída, como se fosse uma recompensa por ter saído com você?

Uma vez uma boa católica escreveu para mim e disse, entre outras coisas:

Padre, quando eu saio com os meninos, eu não me importo de fazer as coisas que alguns fazem. Você entende o que quero dizer, não é? Quero dizer sobre os carros, shows, etc. Então, sobre o beijo. Eu não acho que é realmente adequado para um menino esperar um beijo depois do terceiro ou quarto dia, como se isso fosse a sua recompensa por me levar pra sair. Eu quero que o menino tenha o maior respeito e cortesia a feminilidade. Este é a maneira correta de pensar? Quanto a mim, eu não me importo de sair com rapazes mais. Eu tinha o desejo, como é natural para uma menina, mas agora eu prefiro jogar tênis, vôlei, etc.Por que sempre tem que ter elemento baixo quando se está acompanhada? Não é uma preparação remota para o casamento, que é verdadeiramente um estado belo e sagrado?

Eu tenho 20 anos de idade e estou saindo com um bom menino católico. Não nos acariciamos, talvez apenas um beijo de boa noite ou um ou dois mais. Estou certa em acreditar que se paixões ou emoções não são despertadas, o tal beijo é considerado seguro? Se as paixões ou emoções são percebidas em si mesmo ou em outra pessoa e você sair imediatamente, há algum pecado envolvido? Que tipo de pecado está envolvido, se for o caso, no que diz respeito aos pensamentos e sentimentos (talvez desejos) que vão com alguns beijos e que às vezes vêm quando você está apenas com um menino ou talvez por si mesmo? São essas tentações? Ou como você pode distinguir? Como você confessar esses pecados?

 

1)      “Estou certa em acreditar que se nenhuma paixão ou emoção é despertada, tal beijo é considerado seguro?”

Pode ser possível para um beijo não apaixonado, como você mencionou, ser trocado entre uma jovem e seu amigo cavalheiro. Se assim for, não é pecado, porque, como estamos supondo, quede tal natureza não despertará as paixões de uma pessoa normal. É esse beijo não apaixonado e abraço que os noivos podem fazer uso, muito moderadamente e brevemente e não com muita freqüência para que não haja tentações graves, pois a fim de promover seu amor mútuo que eles têm o direito de mostrar um ao outro certas marcas deste amor. Mas por que um beijo entre um homem e uma mulher é um símbolo, um sinal de profunda afeição, e a expressão do desejo do homem e da mulher para tornar esse carinho em casamento, ele raramente deve ser tolerado, no caso de um companheiro casual. Para dizer boa noite, por meio da expressão simbólica que é a promessa de amor eterno é muito adequado.

Não! E isso nunca é seguro. Um beijo começado na amizade pode facilmente acabar em paixão.

2)      “Se as paixões ou emoções são percebidas em si mesmo ou em outra pessoa e você sair imediatamente, há algum pecado envolvido?”

Se fosse um beijo não apaixonado, como mencionado acima, um símbolo de amor honrado, tal como pode ser legal, mesmo entre pessoas do sexo oposto, e se o beijo realmente não foi feito, a fim de despertar prazer venéreo, e então você notar paixões ou emoções em si mesmo ou em outra pessoa e você sair imediatamente e não concordar com essas paixões e emoções, pode não haver pecado envolvido. Mas você que está pedindo é a garota no caso e não está, talvez ciente de que o garoto é naturalmente muito mais apaixonado do que você que está inclinada a ser meramente afetuosa e distantemente materna. Você não sabe o que está acontecendo no interior do garoto. Ele pode dar consentimento intencional de pensamentos, desejos, e até mesmo para os sentimentos mais veementes. Nesse caso, ele cometeu um pecado mortal e você colaborou com isso. Pode ainda não ser um pecado para você, porque você nunca pensou que um beijo de boa noite inocente levaria a nada disso.

3)      Que tipo de pecado está envolvido, se for o caso, no que diz respeito aos pensamentos e sentimentos (talvez desejos) que vão com alguns beijos e que às vezes vêm quando você está apenas com um menino ou talvez por si mesmo?”

Se você der consentimento intencional de tais pensamentos, sentimentos, desejos, ou seja, se você descansar neles com conteúdo, estiver contentes de tê-los, não fazer nenhum esforço para eliminá-los, mas sim entretê-los, você comete um pecado mortal. Beijar de forma apaixonada que desperta prazer venéreo (e beijar muito prolongado é classificado como apaixonado) é proibido sob pena de pecado grave. Um beijo pode ser a faísca que vai explodir as paixões altamente inflamáveis da juventude e começar um fogo intenso que não pode ser posto para fora. Um homem pode ser levado por beijos a coisas brutais, e uma menina não pode ser beijada desse jeito de maneira nenhuma, pois ficará envergonhada ao longo da vida, com arrependimento e remorso de ambos e muitas vezes para a ruína da menina além de tudo.

4)      “São essas tentações? Ou como você pode distinguir? Como você confessar esses pecados?”

Como um estudioso autor diz:

Aqui é sábio para distinguir entre o que é apenas um fenômeno natural e o que é uma tentação. É perfeitamente natural para uma pessoa normal em determinados momentos experimentar imaginações carnais, pensamentos, sentimentos e desejos Seria ser um sinal de anormalidade ou desordem constitucional, se ela não experimentasse-os. Mas essas experiências não são ainda uma tentação, de qualquer forma. Eles se tornam uma tentação somente quando não é adicionado a eles a abordagem da luxúria, ou a atração ilegal. Este desejo constitui a tentação. Enquanto ele não é respondido ou flertado, não pode haver questão do pecado, por mais forte que o fenômeno natural possa ser”.

Tente sempre evitar fazer coisas que não tem que ser feitas de maneira nenhuma e que você sabe que vai trazer tais tentações. E quando as tentações vêm como vêm seu desejo, apesar de tudo, em silêncio resista a elas com a oração e atenção a outras coisas.

 

Quando um rapaz e uma moça estão saindo, está tudo bem se eles se beijarem?

(Aqui o autor usa como referência o livro “Those Terrible Teens” [“Esses terríveis Adolescentes”] (New York):

Em seu livro, “Esses terríveis Adolescentes” (New York: Declan X. McMullen 1947), o padre Vincent P. McCorry diz algumas coisas muito claras sobre o sinal de que não significa nada. Para começar, ele diz que, se você viu um homem estranho entrar em um ônibus, pagar sua passagem e apertar a mão de todos no ônibus, você diria que o pobre homem seria louco ou embriagado. Por quê? Porque ele estava usando um sinal familiar que não tinha sentido. O povo de nossa civilização reconhece o aperto de mãos como um sinal de amizade. Assim, também, no mundo civilizado, nós sabemos que o beijo é um gesto e um contato que se entende ser o sinal de amor. Como tal, um sinal de que o beijo alcança sua perfeição é quando é trocado entre um homem e uma mulher que estão unidos na união de amor verdadeiro. Esse beijo é uma coisa sublime e santa. A nossa época, que tem deificado amor do tipo sexual, tem simultaneamente aviltado e degradado o sinal do amor, o beijo. Ninguém vai fingir que uma garota pode amar cada rapaz com quem ela fica, mas eles continuam assegurando-lhe com toda a propriedade, ela pode beijar qualquer garoto com quem ela passa uma hora ou uma noite. Bem poderíamos culpar uma garota por fazer-se tão doentiamente barata. No entanto, em nossos dias, é apenas o que o inteligente mundo contemporâneo, o que Hollywood e as revistas populares e anúncios bestiais dizem para ela fazer. Sabemos que Nosso Senhor, em Sua própria vida, disse algumas coisas estranhamente duras sobre o mundo e o diabo e sua conspiração contra a carne fraca. A plena desestimulada verdade,é que, para muitos menino e meninas hoje o beijo não é mais um sinal de amor. Não é mais um sinal de qualquer coisa. É também, um esporte físico brutal, ou um pagamento. É uma idéia degradante que a menina está de alguma forma em débito com o menino que lhe leva para sair, e que a moeda de seu pagamento é o beijo. A sugestão tem uma semelhança distinta e mal cheirosa de vício comercializado. Para as meninas católicas, nada mais precisa ser dito.

 

Citaremos agora textualmente os últimos três parágrafos deste capítulo clássico de um excelente livro que você deve ter:

O beijo existe, agora, para seu próprio bem, sem se relacionar com significado de qualquer espécie. Ele é procurado, dado e trocado, não para expressar e glorificar uma linda realidade, mas para produzir uma emoção momentânea. O beijo costuma subir do coração, agora ele está preso ao corpo. É usado para encarnar as mais altas aspirações de duas pessoas que amam. Agora ele encarna os mais baixos desejos dos dois que se apaixonam. O beijo era uma vez um poema e uma canção, agora é uma espécie de blasfêmia em silêncio. Assim termina a história moderna do sinal sublime do amor.

Como qualquer outra parte do nobre corpo humano, que o Deus Altíssimo primeiro amorosamente formado do limo da terra, os lábios são um milagre e uma meditação. Os lábios do bebê chamam a vida de peito de sua mãe. Os lábios ajuda, ao longo da vida, nas funções normais, necessárias de comer e beber. Os lábios desempenhar o seu papel na maravilha de expressão e na igual maravilha de silêncio. Os lábios fazem uma linha reta de coragem na adversidade, e suavemente participa nos raros momentos de superação alegria que este pobre mundo dá. Os lábios sussurram o ato de contrição, e abrem para receber o floco branco, que é Cristo Jesus, os lábios irão saborear uma última unção com óleo santo, e -. seu último sinal de amor, clamam a Deus! –será pressionado contra o crucifixo no próprio artigo da morte os lábios serão suavemente fechado por mãos amorosas, e irão abrir novamente um dia para cantar para sempre o louvor arrebatador do Deus trino, Pai, Filho e Espírito Santo.

É que esses lábios docemente cedem ao amado o amável sinal de amor. Que eles não entreguem mais nada, nunca.”

Está tudo certo para eles se beijarem? Em seu excelente livro, “SO!  You Want to Get Married!”diz Dorothy Grant entre outras coisas:

 

E o beijo?

Tudo bem, e sobre isso?

 Nós podemos também atender a essa pergunta sempre pressionante diretamente.

Em vez de “se agrupar” com pessoas de seu próprio sexo durante os momentos iniciais de uma festa, por que meninos e meninas não vão direto ao ponto e se beijam? Se não há mal nenhum em um beijo por ser “tímido a investida? Por que não beijar sob um lustre brilhante iluminado em vez de sair à luz da lua atrás da videira madressilva? Por que não?

Uma menina beijaria seu pai diante de uma sala cheia de pessoas. Porque não um menino? Pode ser porque talvez haja mal em um beijo? Claro, beijar o pai é coisa antiga. Beijar um menino é, definitivamente, um beijo de outra cor -. Geralmente muito vermelho. Por que?”

“Porque há tanto dano potencial em beijar um menino quanto há dano potencial na natureza humana. Quão ruim pode ser? Você sabe? É verdade, pai é um veterano no negócio. Ele beija minha mãe durante anos, mas esse é o ponto, é a mãe quem ele beijou. Houve um primeiro beijo entre a mãe e o pai, provavelmente o beijo que decidiu pai para dar a mãe o seu nome, o seu coração e sua vida.

Até onde a menina está em causa, na verdade, pode haver pouco dano em um beijo, porque normalmente uma menina está menos tentada do que um menino. Mas um beijo que a deixa indiferente pode ser um pecado mortal para ele, e uma parte da culpa do pecado mortal vai ser dela porque ela permitiu o beijo. Nada da culpa é dela se o menino sem o menor encorajamento tomou o beijo pela força, mas um rapaz decente raramente faz isso.

Portanto, o grau de "dano" em um beijo deve ser medido pela circunstância - sob o lustre ou atrás da videira madressilva. Como o Padre Furfey aponta em seu livro, “This Way to Heaven”, um beijo “pode ser qualquer coisa, desde um belo ato de caridade sobrenatural a um pecado mortal de impureza”. É questionável se um beijo dado por trás da videira madressilva é provável de ser um ‘belo ato de caridade sobrenatural’.

Deus dotou a nossa sensação de contato com determinadas reações agradáveis. Porque? Para que dentro dos laços do matrimônio, um homem e uma mulher se unam, “dois em uma só carne” para a procriação dos filhos. Dentro dos laços do matrimônio um beijo, uma carícia são preliminares essenciais a esta união completa do homem e da mulher. Fora dos laços do matrimônio um beijo, uma carícia são tão atraentes para os sentidos, mas nesta circunstância a união física é um pecado mortal.

 E no capítulo final deste excelente livro, o autor talentoso tem estas observações práticas:

 “Quando eu sugiro que você recuse avanços no interesse de ser popular e procure pelo tipo certo de meninos, eu estou lembrando de meus ‘encontro’. A Memória insiste que é verdade que, se você é ‘difícil conquistar’ você vai ser procurada por o tipo de garotos que você quer conhecer. Entre todos os jovens que ‘sai’ apenas um me beijou de minha livre e espontânea vontade. Esse eu casei.

Se e quando os outros roubam um beijo contra a minha vontade - meninos vão fazer isso - eles me encontraram pela última vez. Era muito mais agradável passar uma noite em casa com a minha mãe ou com um bom livro do que gastar horas. em um 'encontro' com um menino que se recusava a entender que ‘não’ significa ‘Não!’. Memória me serve bem a este ponto.

Nem eu sustento este princípio moral só porque estas palavras são encontradas no dicionário. Longe disso. Estas foram as armas que a mãe disse que eram dignas de defesa e eu acreditei que ela sabia o que ela estava falando. Quem poderia saber melhor do que a mãe sobre tais coisas?

Cada idade tem suas superficialidades, mas, fundamentalmente, eu não acredito que as meninas de hoje são diferentes das meninas dos meus dias de adolescência. A natureza humana não muda, nem as leis morais divinas e naturais mudam de geração em geração.

 

Nihil Obstat:

BERNARD O’CONNOR,

Censor Diocesano

Imprimatur:

J. R. KNOX,

Arcebispo de Melbourne.

20 de Março, 1968.

 FONTE 


HERBST, Winfrid. Kissing  <http://www.sspxasia.com/Documents/Catholic_Morality/Kissing.htm>

 

PARA CITAR


HERBST, Winfrid. A moral católica sobre o beijo <http://www.apologistascatolicos.com.br/index.php/catequese/espiritualidade/769-o-beijo-e-pecaminoso> Desde 09/02/2015. Tradução: Paulo José e Rafael Rodrigues.

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS